Grécia deve ganhar primeiro museu subaquático em 2021

Grécia deve ganhar primeiro museu subaquático em 2021

imagem-destacada-grecia-deve-ganhar-primeiro-museu-subaquatico-em-2021

A Grécia é conhecida por preservar muitos monumentos clássicos como o Partenon. Agora, quem for visitar o país, também poderá se deliciar com um museu subaquático. A atração iria ser inaugurada no ano passado, mas teve a abertura adiada por causa da pandemia da Covid-19.

O museu está localizado no Parque Nacional Marinho de Alonissos e Espórades do Norte, no Mar Egeu. O local é a maior reserva de proteção marinha da Europa e, por causa do medo dos saqueadores, tinha o acesso restrito a pesquisadores e quem tivesse uma licença especial. Agora, mergulhadores amadores podem se aventurar nos 24 metros de profundidade e conhecer os destroços preservados do naufrágio de Peristera de 425 a.C.

Testes durante a pandemia

O ano de 2020 foi péssimo para o Turismo. Por causa disso, o museu realizou um projeto piloto entre agosto a outubro do ano passado. Mergulhadores amadores, acompanhado por instrutores puderam visitar a área do naufrágio

“Tem havido um bastante interesse do mundo todo. É a primeira vez que o local recebe tantos mergulhadores experientes. Acredito que, nos próximos anos, Alonissos ocupará seu lugar no mapa de mergulho global”, afirma Kostas Efstathiou, do Centro de Mergulho Alonissos Triton, em entrevista a National Geographic.

Para quem era mergulhador avançado houve a disponuibilização de quatro visitas por dia, e aqueles sem experiência em mergulho podiam fazer aulas para conhecer o local.  Quem não quiser participar desta aventura, mas deseja conhecer o local, poderá ver imagens em tempo real por meio de uma câmera. Há outras quatro, porém só os cientistas têm acesso a elas.

Mesmo com restrições de viagem em vigor impostas pelo coronavírus, a fase piloto do museu atraiu 66 visitas subaquáticas programadas e 246 mergulhadores visitantes, um cenário inicial otimista para a inauguração oficial, prevista para junho de 2021.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Polônia inaugura a piscina mais profunda do mundo

Polônia inaugura a piscina mais profunda do mundo

imagem-destacada-polonia-inaugura-a-piscina-mais-profunda-do-mundo

A Polônia inaugurou a piscina mais profunda do mundo com 45,4 metros de profundidade, preenchidos com nada menos que 8 mil m³ de água. A quantidade é suficiente para encher 20 piscinas de 25m .  Foram gastos 40 milhões de zlotys (em torno de R$ 57 milhões) e dois anos para construir o complexo de mergulho, localizado na cidade de Mszczonow.

Mergulhadores profissionais e amadores podem usar o local, que é chamado de complexo Deepspot.  Na marca dos 10 metros até 20 metros de profundidade há cavernas com ruínas maias nas paredes para que os visitantes se aventurem.  Mas nada de peixes ou qualquer espécie animal na água.

Um hotel e um restaurante são outras atrações para quem não quiser entrar na água. O visitante pode ainda observar as atividades por passagens internas criadas na piscina.  Segundo o diretor do complexo Deepspot, o local também será usado para treinamento de bombeiros e do exército polonês.

No entanto, a fama como a piscina mais profunda do mundo deve durar pouco: centro de pesquisa e treinamento marítimo britânico pretende inaugurar uma piscina com 50 metros de profundidade deve ser inaugurado em 2021.

Veja como foi a construção da piscina.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Computador ajuda você a ‘mergulhar’ em projeto de recifes artificiais na Austrália

Computador ajuda você a ‘mergulhar’ em projeto de recifes artificiais na Austrália

imagem-destacada-computador-ajuda-voce-a-mergulhar-em-projeto-de-recifes-artificiais-na-australia

Um projeto para criar recifes artificiais na Austrália ganhou a primeira imagem criada em computação gráfica. A responsável pela ideia é a empresa Subcon Technologies, com objetivo de atrair cerca de 16 mil turistas anualmente e arrecadar US$ 32 milhões de dólares (R$ 130 milhões) em 10 anos.

O projeto consiste em nove grandes estruturas flutuantes, medindo de 16 a 20 metros, presos estruturas fixas no fundo do mar e que serão semelhantes a pirâmides, localizadas na região conhecida como Golden Coast. As peças criadas por Daniel Templeman formarão um habitat artificial para espécies da fauna e da flora marinha.

“Golden Coast é conhecida por oferecer muitas inovações mundiais e esse recife flutuante será uma experiência icônica de ecoturismo incomparável em escala global”, afirmou o prefeito Tom Tate.

Este não é o primeiro projeto de recifes artificiais da Subcon Technologies Pty Ltd. O conceito passará por um desenvolvimento adicional do design em consulta com o grupo de referência da indústria de mergulho.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Conheça mais sobre a Oxigenação Turismo, parceira da Onda Azul

Conheça mais sobre a Oxigenação Turismo, parceira da Onda Azul

imagem-destacada-conheca-mais-sobre-a-oxigenacao-turismo-parceira-da-onda-azul

Você já deve ter visto o nosso calendário de cursos para a temporada de verão. Mas ministrá-los não será possível se não tivermos ao nosso parceiros como a Oxigenação Turismo. Ela é a nossa operadora de turismo e responsável por tornar possíveis todas as ações que organizamos na Onda Azul.

Para quem não sabe, Oxigenação Turismo é a melhor empresa de turismo de mergulho do Brasil. Eles nos ajudam a resolver os trâmites burocráticos para que você não se preocupe na hora de mergulhar conosco. Sandro Cesar, que é diretor da operadora, vem trabalhando no setor desde 1995, como ele revela nesta entrevista.

Um ponto importante é que a Oxigenação Turismo foi a responsável pelo maior evento de mergulho da América Latina, o PADI Dive Festival em São Paulo, justamente pelo conhecimento na realização de muitos eventos com grande número de público, e que envolva uma logística complexa, reservas de viagens e acomodação em hotéis.

Veja a entrevista completa de Sandro Cesar ao site Mergulho Brasil.

Então, se você quer viajar conosco, pode ficar tranquilo porque temos ao nosso lado a Oxigenação Turismo. O diretor da operadora garante que ela está crescendo e numa rota firme no mercado. É claro que desejamos muito sucesso para a empresa.

Com informações do site Mergulho Brasil.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

‘Tudo de errado que a gente faz no Brasil está concentrado em Fernando de Noronha’, alerta Amyr Klink

‘Tudo de errado que a gente faz no Brasil está concentrado em Fernando de Noronha’, alerta Amyr Klink

imagem-destacada-tudo-de-errado-que-a-gente-faz-no-brasil-esta-concentrado-em-fernando-de-noronha-alerta-amyr-klink

O navegador e escritor Amyr Klink resolveu falar sobre os problemas que estão acontecendo no Arquipélago de Fernando de Noronha (PE). A região, conhecida como um dos locais mais importantes para o mergulho, faz parte de um ecossistema único e que merece ser preservado. O depoimento dele serve de alerta para que nós, mergulhadores, façamos um compromisso com a preservação.

Veja o vídeo:

O fundador da Divers For Sharks, Paulo Guilherme Pinguim, concorda com a visão de Amyr Klink e vê com apreensão o que está acontecendo no arquipélago. “Em Noronha, o termo Paraíso faz sentido. É o único local de mergulho no Brasil que pode bater o Caribe, gerando turismo e que deveria ter tratamento de primeiro mundo, mas sofre com o ‘jeitinho brasileiro‘. Perde a natureza, perdem os brasileiros e os mergulhadores”, salienta.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Você está preparado para uma viagem embarcada? Veja as dicas

Você está preparado para uma viagem embarcada? Veja as dicas

imagem-destacada-voce-esta-preparado-para-uma-viagem-embarcada-veja-as-dicas

Uma viagem embarcada, em geral, é um dos primeiros sonhos de quem começa a praticar o mergulho de forma profissional. Porém, antes de realizar este desejo, é necessário que você esteja preparado. Por isso, preparamos algumas dicas para quem quer, literalmente, embarcar nesta aventura.

Você está preparado?

Talvez essa seja a pergunta mais difícil de responder. Uma viagem embarcada pressupõe uma aventura sem muito conforto ou mordomias dentro de um barco. Recomendamos que você tenha bastante vivência mergulhando antes de entrar neste tipo de aventura. Avalie ainda qual o tipo de mergulho que será feito no destino: um mergulho em destroços; visita à cavernas submersas, etc. O importante que você tenha maturidade e experiência para essa experiência e isso, algumas vezes, são características bem relativas.

Como escolher o seu destino?

Uma viagem embarcada pode te colocar para mergulhar nos melhores locais do mundo. Por exemplo, você pode escolher ver um animal específico, como as baleias na Ilha de Abrolhos ou explorar um naufrágio famoso. É necessário entender as condições de mergulho também e a temperatura que você encontrará durante essa aventura. Além disso, o equipamento que você necessita.

Pode ser ainda que durante a viagem, haja mudança de planos por causa das condições do mar. É necessário estar preparado para isso. Afinal de contas, o capitão do barco e a equipe zelam pela segurança de quem vai mergulhar.

O que você deve levar?

Um dos grandes erros desse tipo de viagem é o excesso de bagagem. Em geral, um mergulhador na sua primeira viagem imagina tudo aquilo que vai precisar e leva o dobro. Ledo engano!

Faça uma lista de itens que você vai precisar e outra com equipamentos que precisam de manutenção ou ajustes para a aventura. Faça uma checagem da bateria do computador de mergulho, das lanternas e das câmeras. Tenha sempre uma máscara extra e tiras para nadadeiras. Se você não quer levar todo o seu equipamento, pergunte a empresa responsável pela viagem se haverá material para alugar e quais serão.

Lembre-se de carregar roupas confortáveis para os momentos em que você não estiver mergulhando. Verifique a previsão do tempo para saber quais roupas você tem que levar e, o mais importante, tenha em mente que não haverá muito espaço dentro do barco.

Finalmente: se preocupe em levar medicamentos básicos ou qualquer outro que você faça uso.

Você precisa de uma companhia?

Se a resposta é não, a maioria das empresas que oferecem o serviço levam grupos de pessoas. É uma ótima oportunidade para fazer amigos. Além disso, em geral, o esquema de mergulho é feito em duplas, com os responsáveis colocando mergulhadores com o mesmo nível de experiência.

Se a sua dupla não combina com você, converse com o responsável pela viagem para haja um consenso entre vocês.

Como serão as acomodações?

Conforme falamos no início do texto, não espere muito conforto para esse tipo de viagem. Nada de cabines privativas, por exemplo. Mas tudo depende também de quanto você está investindo neste tipo de experiência. Pode ser que você tenha que dividir o banheiro e acomodações com os outras pessoas. Faça uma pesquisa e procure saber essas informações.

Quanto mais conforto você quiser, mais caro vai custar o serviço. Tente saber previamente quantas pessoas estarão com você nesta aventura.

Despesas extras!

Esteja preparado para despesas extras, afinal imprevistos podem acontecer. Além disso, se você precisa dormir em um hotel antes de embarcar, isto tem que estar previsto no seu orçamento. Aproveitar para fazer outros passeios ou visitar áreas turísticas durante essa viagem podem gerar mais custo.

Além disso, tenha sempre dinheiro guardado para uma emergência e faça um seguro viagem. Prevenção nunca é demais! A dica que damos nesta tópico é colocar 20% a mais sobre o valor total. Além disso, preste atenção no serviço que foi pago, pois se a equipe responsável pelo barco enxugar o seu equipamento de mergulho, por exemplo, isso pode gerar uma cobrança extra.

Boa viagem!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Por que mergulhar utilizando o barco de um amigo pode não ser uma boa ideia?

Por que mergulhar utilizando o barco de um amigo pode não ser uma boa ideia?

imagem-destacada-por-que-mergulhar-utilizando-o-barco-de-um-amigo-pode-nao-ser-uma-boa-ideia

Um dia de sol pode ser ótimo para mergulhar. Ainda quando temos amigos que possuem uma embarcação. Pode ser uma ótima forma de passar o tempo, aproveitando uma oportunidade, certo? A resposta pode ser não. Ainda mais porque mergulhar exige um preparo técnico e tático – principalmente quando se trata de prevenção para situações de emergência. Mergulhar exige muito mais do que um barco e os cuidados garantem que a atividade seja segura. Mostramos alguns pontos que impedem a prática do mergulho em embarcações de amigos.

Equipamento

Quando você tem um barco, há procedimentos para o capitão e a tripulação. Geralmente, usados em situações de emergência e fazem referência ao uso dos equipamentos a bordo. Essas dispositivos de segurança podem salvar a sua vida. São eles:

  • Colete salva-vidas
  • Rádios transmissores para acionar autoridades portuárias, serviços de emergência e outras embarcações
  • Extintores de incêndios sobressalentes
  • Radiobaliza Indicadora de Posição de Emergência por Satélite
  • Kit de primeiros-socorros
  • Oxigênio de Emergência

No Brasil, dependendo do tipo de embarcação, os equipamentos necessários são esses.

E não é só o equipamento para situações de emergência que é necessário, mas a tripulação tem que estar treinada. No caso de um mergulho com um amigo: você ou ele têm acesso aos equipamentos? Você ou seu amigo sabe usá-los durante uma situação de muito estresse?

Tripulação

Você seu amigo têm experiência, são marinhos qualificados ou mergulhadores de resgate? Em caso de emergência, dentro ou fora da água, vocês precisarão de pessoas treinadas, prontas para ajudar. Será que você e seu amigo estão preparados para lidar com as seguintes situações?

  • Mergulhador nervoso ou desacordado na água
  • Fogo nos equipamentos da embarcação
  • Tempestades e mudanças abruptas no tempo enquanto os mergulhadores estão na água
  • Mergulhadores perdidos
  • Problemas causados por descompressão e/ou ferimentos causados pelo mergulho

Tripulações que trabalham com mergulho estão acostumadas a lidarem com esses tipos de cenários. Eles geralmente são esquecidos, porque suas habilidades não são requisitadas na maior parte do tempo. Mas se há um problema, eles estão prontos para ajudar.

Ao menos que você e seu amigos sejam marinheiros e mergulhadores experientes, é recomendável que os mergulhos sejam assessorados por profissionais da área. Emergências podem acontecer a qualquer momento e, por isso, uma equipe preparada e com equipamentos adequados podem evitar fatalidades. Deixe quem está treinado cuidar para que o seu mergulho aconteça perfeitamente. Mergulhar tem riscos como qualquer outra atividade, mas quando executado dentro das normas de segurança, é muito tranquilo.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Porque você deve construir um diário de mergulho

Porque você deve construir um diário de mergulho

imagem-destacada-porque-voce-deve-construir-um-diario-de-mergulho

Ter um livro de registro de mergulho pode ser uma tarefa chata ou a parte mais interessante da prática do esporte. Acreditamos muito na segunda opção e, por isso, resolvemos dar algumas dicas para você desenvolver algo traga valor para os seus registros.

Comece imediatamente

Se você está começando a mergulhar, organize-se para guardar as informações para o seu diário de bordo. As informações do seu computador de mergulho vão te ajudar a construir esse registro. Para começar, recomendamos guardar os seguintes dados:

  • Equipamento usado;
  • Pressão das temperaturas no início e no fim do mergulho – se o seu computador não for integrado com o sistema de gás;
  • Local de mergulho;
  • Companheiro de mergulho;

Guarde o seu diário

Muitos mergulhadores fazem registros de mergulho a partir das técnicas que são ensinadas nas escolas para mergulhadores ou compram alguns modelos vendidos em lojas especializadas. Atualmente é possível usar aplicativos no celular como o Dive Number, disponível para Android e iPhone.

Trate como um jornal

Gastar um bom tempo montando um registro de mergulho é valioso para o resultado final. Use a seção de notas para mostrar o que você viu, o que sentiu e quais são as suas ideias pós-mergulho. Isso pode resultar em duas coisas:

O seu registro de mergulho vai contar informações valiosas que poderão ser usadas posteriormente em outros mergulhos

O seu registro de mergulho pode se tornar uma coleção de experiências que podem ser revisitadas a qualquer momento.

Coloque fotos e notas

Mergulhadores usam equipamentos e ferramentas para seus mergulhos ou melhorar a experiência dentro da água. Esses detalhes devem constar nos seus registros e ajudam a aprofundar o conhecimento sobre aquela aventura.

Se durante a atividade você tirou fotos ou fez algum outro tipo de registro, acrescente ao seu registo de mergulho. Assim, contando em detalhes, fica mais fácil extrair informações para novas aventuras e, com isso, ele pode se transformar em um diário de mergulho.

Organize tudo!

Independente do método que você usar para construir o seu registro de mergulho, a coisa mais importante é continuar ativo e manter o seu diário atualizado. Ele é a prova da sua experiência com mergulho, mas tem que ser funcional para você.

O registro de mergulho acaba virando um verdadeiro amigo diário das suas aventuras e diversão embaixo d’água! Traz surpresas inesperadamente, por exemplo, você descobrir que está fazendo 20, 50, 100 mergulhos. Cada um deles é motivo de comemoração e muitas vezes expectativas. Vocês não imaginam a minha emoção ao notar que preenchia os meus mergulhos de número 999 e o de número 4999. Imaginem a vontade de fazer os próximos e cumprir estas metas”, explica Paulo Guilherme Pinguim, diretor e mergulhador da Onda Azul.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O Brasil não precisa da uma ‘Cancún’. Pela preservação da Estação Ecológica de Tamoios!

O Brasil não precisa da uma ‘Cancún’. Pela preservação da Estação Ecológica de Tamoios!

imagem-destacada-o-brasil-nao-precisa-da-uma-cancun-pela-preservacao-da-estacao-ecologica-de-tamoios

Proteger o meio ambiente não parece ser o forte do Governo Bolsonaro. A mais recente invenção da administração atual é transformar a região de Angra dos Reis, mais especificamente a Estação Ecológica de Tamoios, na Baía de Ilha Grana, numa espécie de Cancún brasileira.

Coincidentemente ou não, a área é a mesma onde o presidente Jair Bolsonaro foi multado em R$ 10 mil por pesca ilegal em 2012. Na prática, a iniciativa flexibiliza o licenciamento ambiental para exploração turística da região. O local é um santuário para várias espécies ameaçadas de extinção. Como explica o vídeo.

Clique na imagem para assistir o vídeo no Globoplay do Jornal Nacional exibido no dia 23 maio de 2019

Comecei a minha vida como profissional de mergulho há muitos anos, dando a teoria e piscina na Marina da Glória, fazendo a parte de mar em Angra dos Reis, na Aquamaster. Angra tem excelentes pontos de mergulho, com naufrágios em diversos estágios, mergulho em grutas com teto, etc. Não é absurdo nenhum dizer que se pode mergulhar todos os dias do ano sem repetir o ponto de mergulho! E a vida marinha local depende muito da proteção da Esec. Não precisamos destruir a estação para virar uma Cancún. Temos que investir em estrutura como saneamento básico, fiscalização e turismo de alto nível. Não flexibilizando as leis de proteção ambiental”, defende Paulo Guilherme, o Pinguim, fundador da Onda Azul.

É necessário um movimento para preservação da Estação Ecológica de Tamoios, resguardando a Baía de Ilha Grande como um ótimo destino para o mergulho e o turismo controlado. Afinal, especialistas mostram que há grandes diferenças entre o Balneário de Cancún, no México, e Angra dos Reis.

Entretanto ouvir especialistas, fazer estudos e realizar pesquisas parece não ser a maior qualidade do Governo Jair Bolsonaro. Os primeiros seis meses demonstram que o caminho escolhido não é adequado para que o Brasil precisa.

Quer mergulhar com a Onda Azul?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Conheça cinco drones aquáticos

Conheça cinco drones aquáticos

imagem-destacada-conheca-cinco-drones-aquaticos

Veículos aéreos não-tripulados são uma realidade, há empresas que querem usá-los para fazer entregas como a Amazon. Por outro lado, mesmo que ainda pouco populares, existem no mercado drones aquáticos e que podem elevar a experiência de um mergulho no fim de semana. Eles ainda são caros, mas como aconteceu no caso do veículos usados nos céus, a tendência é tornassem mais acessíveis com o avanço tecnológico.

Conheça alguns deles.

Criado por uma empresa francesa, o Ibubble é um drone sem fio com controle remoto, bateria e recarregador no kit básico. Há ainda outros dois modelos disponíveis para a venda. No entanto, o site não deixa claro se os brinquedinhos podem ser importados para o Brasil.

  • Capacidade Mergulho: 60m
  • Duração da Bateria: 1 hora
  • Dimensões: 60cm x 45cm x 35cm
  • Peso: 9kg
  • Preço: R$ 17 mil

O veículo é da empresa americana Deep Trekker, que fabrica drones para serem usados para inspeção de tubulações industriais. O modelo básico, o DTG3 Rov, é bem diferente do iBubble em formato e por não ser um robô sem fio. No entanto, ele tem mais autonomia de bateria e consegue alcançar profundidade maiores.

  • Capacidade Mergulho: 200m
  • Duração da Bateria: 12 horas
  • Dimensões: não informado
  • Peso: não informado
  • Preço: a partir de R$ 15 mil, o drone pode ser customizado

Os chineses da Chasing criaram este drone, que pode ser usado com um celular no controle remoto, com ou sem cabos. O smartphone permite que você faça transmissões para o YouTube ou nas redes sociais. Ainda há outras três outras opções de robôs. O site não deixa claro se há a possibilidade de envios para o Brasil.

  • Capacidade Mergulho: 100m
  • Duração da Bateria: 2 horas
  • Dimensões: 385 x 226 x 138 mm
  • Peso: 2.5 kg
  • Preço: cerca de R$ 5 mil

PowerRay

A PowerVision é mais um fabricante chinês na lista de fabricantes de drones marinhos. No site é possível comprar robôs subaquáticos como aéreos. Desses, o PowerRay é modelo usado para mergulhos. Ele é usa fio para e, no controle, você pode colocar um celular com sistema Android ou iOS.

  • Capacidade Mergulho: 30m
  • Duração da Bateria: 4 horas
  • Dimensões: 465x270x126mm
  • Peso: 3.8 kg
  • Preço: cerca de R$ 4 mil

O drone criado pela Geneinno, após um financiamento coletivo no site Kickstarter. O robô da empresa chinesa também é mais um modelo em que celular é acoplado ao controle. Ali ficam as principais funções: isso pode ser feito com um cabo ou sem. A câmera filma em qualidade 4k. A empresa ainda vende outro dois modelos: o Poseidon I e o Trident.

  • Capacidade Mergulho: 150m
  • Duração da Bateria: 4 horas
  • Dimensões: 90x347x165mm
  • Peso: 4.4 kg
  • Preço: cerca de R$ 10 mil
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email