Grécia deve ganhar primeiro museu subaquático em 2021

Grécia deve ganhar primeiro museu subaquático em 2021

imagem-destacada-grecia-deve-ganhar-primeiro-museu-subaquatico-em-2021

A Grécia é conhecida por preservar muitos monumentos clássicos como o Partenon. Agora, quem for visitar o país, também poderá se deliciar com um museu subaquático. A atração iria ser inaugurada no ano passado, mas teve a abertura adiada por causa da pandemia da Covid-19.

O museu está localizado no Parque Nacional Marinho de Alonissos e Espórades do Norte, no Mar Egeu. O local é a maior reserva de proteção marinha da Europa e, por causa do medo dos saqueadores, tinha o acesso restrito a pesquisadores e quem tivesse uma licença especial. Agora, mergulhadores amadores podem se aventurar nos 24 metros de profundidade e conhecer os destroços preservados do naufrágio de Peristera de 425 a.C.

Testes durante a pandemia

O ano de 2020 foi péssimo para o Turismo. Por causa disso, o museu realizou um projeto piloto entre agosto a outubro do ano passado. Mergulhadores amadores, acompanhado por instrutores puderam visitar a área do naufrágio

“Tem havido um bastante interesse do mundo todo. É a primeira vez que o local recebe tantos mergulhadores experientes. Acredito que, nos próximos anos, Alonissos ocupará seu lugar no mapa de mergulho global”, afirma Kostas Efstathiou, do Centro de Mergulho Alonissos Triton, em entrevista a National Geographic.

Para quem era mergulhador avançado houve a disponuibilização de quatro visitas por dia, e aqueles sem experiência em mergulho podiam fazer aulas para conhecer o local.  Quem não quiser participar desta aventura, mas deseja conhecer o local, poderá ver imagens em tempo real por meio de uma câmera. Há outras quatro, porém só os cientistas têm acesso a elas.

Mesmo com restrições de viagem em vigor impostas pelo coronavírus, a fase piloto do museu atraiu 66 visitas subaquáticas programadas e 246 mergulhadores visitantes, um cenário inicial otimista para a inauguração oficial, prevista para junho de 2021.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

As histórias mais relevantes para os nossos leitores

As histórias mais relevantes para os nossos leitores

imagem-destacada-as-historias-mais-relevantes-para-os-nossos-leitores
O ano de 2020 não foi fácil para ninguém.  Mas vamos terminá-lo mostrando quais foram os artigos mais lidos neste blog, em um ano que tivemos nossas atividades suspensas por causa do isolamento imposto na maior parte do Brasil.
Neste ano falamos sobre sete curiosidades do memorável Jacques Cousteau, pesquisador, mergulhador que inspira muita gente mundo afora. Sempre bom lembrar, sobretudo, do entusiasmo deste francês em conhecer o mundo e preservá-lo.
O ano foi tão estranho que até inauguraram o primeiro museu subaquático do mundo, na Austrália. Detalhe que a atração fica bem próxima da Grande Barreira de Corais, considerado um dos Patrimônios da Humanidade.
E por falar em recifes, mostramos um estudo que propõe uma nova abordagem em mergulhos feitos neste ecossistema. O mergulho é uma atividade humana que interfere no Meio Ambiente, por isso, é necessário medir os impactos e repensar as nossas atitudes,
Falamos também sobre morte… mas de transatlânticos! Você sabia que existe um ‘cemitério’ para eles? Com a pandemia da Covid-19 muitos deles foram sepultados por causa do aumento das dívidas das empresas de turismo.
Mas também trouxemos uma novidade para quem tem medo de mergulhar. Uma espécie de boia que ajuda na flutuação e aumenta a confiança de quem está começando a se aventurar.

Esperamos um 2021 melhor e com vacina. Feliz Ano Novo!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Papai Noel mergulha no Aquário do Rio

Papai Noel mergulha no Aquário do Rio

imagem-destacada-papai-noel-mergulha-no-aquario-do-rio

No Rio de Janeiro, o Papai Noel anda mergulhando no AquaRio.  Todos os dias, às 14h, até o dia 27.12, bom Velhinho e seus doentes mergulham tubarões da espécie Mangona e os dois mil animais no Grande Tanque do aquário, localizado na Praça Mauá, Centro do Rio de Janeiro.

Para a ação, o AquaRio investiu em decoração temática com uma árvore de quase três metros de altura que fica dentro do Grande Tanque. Além disso, nos dias 23 a 25 de dezembro haverá um concerto natalino debaixo d’água com um maestro e mergulhadores simulando tocar violino, harpa, trompete.

Veja o calendário para a visitação do AquaRio no fim de ano.

  • Dia 24/12/20 – das 10h às 14h (com entrada ao circuito de visitação até às 13h);
  • Dia 25/12/20 – das 12h às 18h (com entrada ao circuito de visitação até às 17h);
  • Dia 31/12/20 – das 10h às 14h (com entrada ao circuito de visitação até às 13h);
  • Dia 01/01/21 – das 12h às 18h (com entrada ao circuito de visitação até às 17h).

Serviço

O ingresso custa de R$ 70 (crianças de 3 a 11 anos) – brasileiros e estrangeiros; jovens de 12 a 21 anos (brasileiros); estudantes (brasileiros); pessoas com mais de 60 anos (brasileiros) e pessoas com deficiência (brasileiros e estrangeiros)?; R$ 70 (moradores e pessoas nascidas no Estado do Rio de Janeiro); R$ 100 (turistas brasileiros); R$ 110 (cidadãos do Mercosul); R$ 140 (ingresso individual estrangeiros que não se enquadrem nas modalidades acima) e crianças menores de 3 anos não pagam.

Mais informações podem ser obtidas no site.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Polônia inaugura a piscina mais profunda do mundo

Polônia inaugura a piscina mais profunda do mundo

imagem-destacada-polonia-inaugura-a-piscina-mais-profunda-do-mundo

A Polônia inaugurou a piscina mais profunda do mundo com 45,4 metros de profundidade, preenchidos com nada menos que 8 mil m³ de água. A quantidade é suficiente para encher 20 piscinas de 25m .  Foram gastos 40 milhões de zlotys (em torno de R$ 57 milhões) e dois anos para construir o complexo de mergulho, localizado na cidade de Mszczonow.

Mergulhadores profissionais e amadores podem usar o local, que é chamado de complexo Deepspot.  Na marca dos 10 metros até 20 metros de profundidade há cavernas com ruínas maias nas paredes para que os visitantes se aventurem.  Mas nada de peixes ou qualquer espécie animal na água.

Um hotel e um restaurante são outras atrações para quem não quiser entrar na água. O visitante pode ainda observar as atividades por passagens internas criadas na piscina.  Segundo o diretor do complexo Deepspot, o local também será usado para treinamento de bombeiros e do exército polonês.

No entanto, a fama como a piscina mais profunda do mundo deve durar pouco: centro de pesquisa e treinamento marítimo britânico pretende inaugurar uma piscina com 50 metros de profundidade deve ser inaugurado em 2021.

Veja como foi a construção da piscina.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Conheça a Floater, a roupa para quem tem medo de ambientes aquáticos

Conheça a Floater, a roupa para quem tem medo de ambientes aquáticos

imagem-destacada-conheca-a-floater-a-roupa-para-quem-tem-medo-de-ambientes-aquaticos
O medo de ambientes aquáticos como piscinas, praias e cachoeiras é uma realidade para muitas pessoas, pensando nisso o surfista e empresário Mark Okrusko inventou a Floater.  A vestimenta se parece com uma roupa de mergulho e também é feita em tecido neopreme.

Mas ao contrário de cintos de flutuação que podem deixar o usuário voltado para baixo e de coletes salva-vidas que podem subir ao pescoço, a Floater apresenta um painel de flutuação no peito e oferece uma maior sensação de segurança e conforto.

A Floater é vendida pela Airtime Watertime e pode ser a solução para quem quer enfrentar o medo de estar na água. Veja um vídeo da roupa em ação.

Hilma Hooker: o cargueiro que virou local de mergulho

Hilma Hooker: o cargueiro que virou local de mergulho

imagem-destacada-hilma-hooker-o-cargueiro-que-virou-local-de-mergulho
Era verão de 1984 quando o Hilma Hooker, cargueiro holandês de 1951, apresentou problemas em Bonaire, no Caribe, e foi rebocado porto de Kralendijk com dificuldades técnicas.  A embarcação de 236 pés, construído em Krimpen aan den IJssel, na Holanda, começava a levantar suspeitas das autoridades locais.
De pose da documentação do navio, elas fizeram uma pesquisa na Interpol e no FBI e descobriram que o cargueiro vinha sendo investigado por tráfico de drogas. Vasculhando a embarcação, descobriram uma falsa antepara com 10 toneladas de maconha. A tripulação do Hilma Hooker foi presa e, o navio, apreendido.
Mas operadores de mergulho viram na embarcação uma possibilidade de construir um local que serviço de atração para quem quisesse se aventurar nas águas de Bonaire e pressionaram o governo. A localização do naufrágio foi escolhida a dedo para mergulhadores; fica a pouca distância da costa, próxima a dois recifes de coral e dentro de limites do mergulho recreacional. No 12 de setembro de 1984 o Hilma Hooker foi afundado.
Este vídeo mostra como é explorar o cargueiro holandês. Em nosso último post mostramos a farra do uísque.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Você está preparado para uma viagem embarcada? Veja as dicas

Você está preparado para uma viagem embarcada? Veja as dicas

imagem-destacada-voce-esta-preparado-para-uma-viagem-embarcada-veja-as-dicas

Uma viagem embarcada, em geral, é um dos primeiros sonhos de quem começa a praticar o mergulho de forma profissional. Porém, antes de realizar este desejo, é necessário que você esteja preparado. Por isso, preparamos algumas dicas para quem quer, literalmente, embarcar nesta aventura.

Você está preparado?

Talvez essa seja a pergunta mais difícil de responder. Uma viagem embarcada pressupõe uma aventura sem muito conforto ou mordomias dentro de um barco. Recomendamos que você tenha bastante vivência mergulhando antes de entrar neste tipo de aventura. Avalie ainda qual o tipo de mergulho que será feito no destino: um mergulho em destroços; visita à cavernas submersas, etc. O importante que você tenha maturidade e experiência para essa experiência e isso, algumas vezes, são características bem relativas.

Como escolher o seu destino?

Uma viagem embarcada pode te colocar para mergulhar nos melhores locais do mundo. Por exemplo, você pode escolher ver um animal específico, como as baleias na Ilha de Abrolhos ou explorar um naufrágio famoso. É necessário entender as condições de mergulho também e a temperatura que você encontrará durante essa aventura. Além disso, o equipamento que você necessita.

Pode ser ainda que durante a viagem, haja mudança de planos por causa das condições do mar. É necessário estar preparado para isso. Afinal de contas, o capitão do barco e a equipe zelam pela segurança de quem vai mergulhar.

O que você deve levar?

Um dos grandes erros desse tipo de viagem é o excesso de bagagem. Em geral, um mergulhador na sua primeira viagem imagina tudo aquilo que vai precisar e leva o dobro. Ledo engano!

Faça uma lista de itens que você vai precisar e outra com equipamentos que precisam de manutenção ou ajustes para a aventura. Faça uma checagem da bateria do computador de mergulho, das lanternas e das câmeras. Tenha sempre uma máscara extra e tiras para nadadeiras. Se você não quer levar todo o seu equipamento, pergunte a empresa responsável pela viagem se haverá material para alugar e quais serão.

Lembre-se de carregar roupas confortáveis para os momentos em que você não estiver mergulhando. Verifique a previsão do tempo para saber quais roupas você tem que levar e, o mais importante, tenha em mente que não haverá muito espaço dentro do barco.

Finalmente: se preocupe em levar medicamentos básicos ou qualquer outro que você faça uso.

Você precisa de uma companhia?

Se a resposta é não, a maioria das empresas que oferecem o serviço levam grupos de pessoas. É uma ótima oportunidade para fazer amigos. Além disso, em geral, o esquema de mergulho é feito em duplas, com os responsáveis colocando mergulhadores com o mesmo nível de experiência.

Se a sua dupla não combina com você, converse com o responsável pela viagem para haja um consenso entre vocês.

Como serão as acomodações?

Conforme falamos no início do texto, não espere muito conforto para esse tipo de viagem. Nada de cabines privativas, por exemplo. Mas tudo depende também de quanto você está investindo neste tipo de experiência. Pode ser que você tenha que dividir o banheiro e acomodações com os outras pessoas. Faça uma pesquisa e procure saber essas informações.

Quanto mais conforto você quiser, mais caro vai custar o serviço. Tente saber previamente quantas pessoas estarão com você nesta aventura.

Despesas extras!

Esteja preparado para despesas extras, afinal imprevistos podem acontecer. Além disso, se você precisa dormir em um hotel antes de embarcar, isto tem que estar previsto no seu orçamento. Aproveitar para fazer outros passeios ou visitar áreas turísticas durante essa viagem podem gerar mais custo.

Além disso, tenha sempre dinheiro guardado para uma emergência e faça um seguro viagem. Prevenção nunca é demais! A dica que damos nesta tópico é colocar 20% a mais sobre o valor total. Além disso, preste atenção no serviço que foi pago, pois se a equipe responsável pelo barco enxugar o seu equipamento de mergulho, por exemplo, isso pode gerar uma cobrança extra.

Boa viagem!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Dicas para quem quer praticar o turismo sustentável

Dicas para quem quer praticar o turismo sustentável

imagem-destacada-dicas-para-quem-quer-praticar-o-turismo-sustentavel

O Turismo é uma das áreas que mais geram dinheiro no mundo. No entanto, ao visitar uma região, precisamos fazer a nossa parte para que ele seja uma atividade sustentável, pensando sempre no impacto social, econômico e ambiental. São atitudes que minimizam nossa influência nos ambientes em que estamos presentes. Para isso, trouxemos algumas dicas para ajudar. Porém é necessário salientar que um turista consciente é, antes de tudo, um bom cidadão em sua cidade de origem.

Cultura local tem que ser respeitada

Entenda como funcionam as tradições locais e quais são as questões sociais da região que você está visitando. Usar algumas palavras no idioma do país, seguir regras de comportamento diferentes das suas, estar consciente dos hábitos e valores das pessoas daquela região são formas de respeitar a cultura local.

Seja um agente transformador

Para isso, valorize os negócios locais: se hospede em hoteis e vá em restaurantes gerenciados por pessoas da região. Consumir o artesanato e produtos que são fabricados por quem vive naquele local também é uma forma de subsidiar a economia regional.

Preserve o meio ambiente

Como falamos, o turismo sustentável tem uma preocupação ambiental. Logo, não deixe lixo nos pontos de visitação, economize luz e água. Também tenha em mente a questão do desperdício de alimentos, consumindo somente o necessário.

Transporte

Por que não visitar um ponto da região de bicicleta, por exemplo? Preocupar-se com as emissões de CO2 é praticar o turismo sustentável. Privilegie também o transporte público em seu deslocamento para os locais de visitação.

Valorize o turismo de experiência

Sim, é importante incentivar o ecoturismo ou turismo rural, pois essas práticas, no geral, tem uma preocupação com a conservação do meio ambiente e os impactos da nossa presença.

Priorize quem é sustentável

Procure saber se o estabelecimento que vai te hospedar tem práticas sustentáveis. Reciclagem de lixo, uso de energia solar, aproveitamento das águas da chuva são algumas delas. O Prêmo Braztoa de Sustentabilidade (Brasil), e o selo Ecolabel, da União Europeia, são iniciativas que reconhecem práticas neste sentido, assim como o Global Sustainable Tourism Council.

Voluntariado

Pesquise e ajude iniciativas locais que protejam animais ou estão em defesa dos Direitos Humanos. Mas calma! Antes de ingressar, verifique se elas estão realmente desenvolvendo um trabalho para resolver esses problemas.

Direitos básicos em foco

Lugares que violam direitos básicos dos animais ou humanos devem ficar fora da sua lista. Na Argentina, por exemplo, temos o controverso zoológico de Luján, frequentemente acusado de maus tratos. Em algumas regiões da Índia, os elefantes são explorados como atrações turísticas. Fique atento.

Com informações do Skyscanner

"Lembre-se especialmente no turismo de mergulho de não consumir plástico de uso único, como copos e canudos descartáveis. Se você está num barco e o refrigerante é de lata de alumínio, que é reciclável, beba direto da lata, não precisa de canudo nem de copo! É importante termos em mente que a maior parte absoluta do nosso lixo vai para os mares. Então temos não só o direito de mares e praias limpas, como o dever de não contribuir para a poluição bem como de catar todo lixo que vermos nestas áreas e dar a destinação correta. E no mergulho é nossa obrigação não molestar, incomodar e nem sequer tocar na vida marinha. Lembre-se: Deixe apenas saudades, leve apenas boas lembranças e tire apenas fotos!"

Paulo Guilherme "Pinguim"
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Empresa americana cria ‘mochila flutuante’ e promete reduzir em 86% o impacto nas costas

Empresa americana cria ‘mochila flutuante’ e promete reduzir em 86% o impacto nas costas

imagem-destacada-empresa-americana-cria-mochila-flutuante-e-promete-reduzir-em-86-o-impacto-nas-costas

Imagine carregar equipamento, roupas e outros acessórios sem tanto sofrimento? Essa é a promessa da ‘mochila flutuante’ HoverGlide, criada pela Lightning Packs, uma empresa americana. A novidade promete minimizar os impactos nas costas, pescoço, joelhos e tornozelos.

Segundo o fabricante, a mochila é resultado de estudos realizados por fisiologistas fisiologistas da Universidade da Pensilvânia, na Filadélfia (EUA). A tecnologia usada que a mochila segue o mesmo princípio utilizado para o transporte de cargas pesadas em algumas regiões da Ásia.

Na prática, a mochila tem quadro que funciona como um trilho. Conforme andamos, a bolsa desliza pela área fixa, subindo e descendo. Abaixo, o vídeo mostra o funcionamento da ‘mochila flutuante’.

A mochila deve começar a ser vendida em setembro, após ser financiada no Kickstarter. O fabricante de disponibilizar quatro modelos inicialmente: de modelos para o dia-a-dia, passando por produtos para camping e escaladas.

Nossas costas agradecem!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Por que mergulhar utilizando o barco de um amigo pode não ser uma boa ideia?

Por que mergulhar utilizando o barco de um amigo pode não ser uma boa ideia?

imagem-destacada-por-que-mergulhar-utilizando-o-barco-de-um-amigo-pode-nao-ser-uma-boa-ideia

Um dia de sol pode ser ótimo para mergulhar. Ainda quando temos amigos que possuem uma embarcação. Pode ser uma ótima forma de passar o tempo, aproveitando uma oportunidade, certo? A resposta pode ser não. Ainda mais porque mergulhar exige um preparo técnico e tático – principalmente quando se trata de prevenção para situações de emergência. Mergulhar exige muito mais do que um barco e os cuidados garantem que a atividade seja segura. Mostramos alguns pontos que impedem a prática do mergulho em embarcações de amigos.

Equipamento

Quando você tem um barco, há procedimentos para o capitão e a tripulação. Geralmente, usados em situações de emergência e fazem referência ao uso dos equipamentos a bordo. Essas dispositivos de segurança podem salvar a sua vida. São eles:

  • Colete salva-vidas
  • Rádios transmissores para acionar autoridades portuárias, serviços de emergência e outras embarcações
  • Extintores de incêndios sobressalentes
  • Radiobaliza Indicadora de Posição de Emergência por Satélite
  • Kit de primeiros-socorros
  • Oxigênio de Emergência

No Brasil, dependendo do tipo de embarcação, os equipamentos necessários são esses.

E não é só o equipamento para situações de emergência que é necessário, mas a tripulação tem que estar treinada. No caso de um mergulho com um amigo: você ou ele têm acesso aos equipamentos? Você ou seu amigo sabe usá-los durante uma situação de muito estresse?

Tripulação

Você seu amigo têm experiência, são marinhos qualificados ou mergulhadores de resgate? Em caso de emergência, dentro ou fora da água, vocês precisarão de pessoas treinadas, prontas para ajudar. Será que você e seu amigo estão preparados para lidar com as seguintes situações?

  • Mergulhador nervoso ou desacordado na água
  • Fogo nos equipamentos da embarcação
  • Tempestades e mudanças abruptas no tempo enquanto os mergulhadores estão na água
  • Mergulhadores perdidos
  • Problemas causados por descompressão e/ou ferimentos causados pelo mergulho

Tripulações que trabalham com mergulho estão acostumadas a lidarem com esses tipos de cenários. Eles geralmente são esquecidos, porque suas habilidades não são requisitadas na maior parte do tempo. Mas se há um problema, eles estão prontos para ajudar.

Ao menos que você e seu amigos sejam marinheiros e mergulhadores experientes, é recomendável que os mergulhos sejam assessorados por profissionais da área. Emergências podem acontecer a qualquer momento e, por isso, uma equipe preparada e com equipamentos adequados podem evitar fatalidades. Deixe quem está treinado cuidar para que o seu mergulho aconteça perfeitamente. Mergulhar tem riscos como qualquer outra atividade, mas quando executado dentro das normas de segurança, é muito tranquilo.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email