A lenda da Ilha de Jorge Grego, em Angra dos Reis

A lenda da Ilha de Jorge Grego, em Angra dos Reis

imagem-destacada-a-lenda-da-ilha-de-jorge-grego-em-angra-dos-reis

Histórias de piratas sempre fizeram sucesso em nosso imaginário coletivo. Jack Sparrow, Simba, Barba Ruiva, Capitão Gancho, são só alguns nomes que podem ser facilmente lembrados. Próximo de Angra dos Reis, em frente a Lopes Mendes, na Ilha Grande, surge mais um desses personagens, conhecido como Jorge Grego.

Reza a lenda que ele foi um pirata que navegava em direção ao Estreito de Magalhães quando começou a ser perseguido para armada inglesa. Com o barco destruído perto da Ilha Grande, ele conseguiu fugir de bote até uma ilha próxima, onde teria sobrevivido com suas duas filhas e um ajudante. Lá também teria enterrado do tesouro que carregava. Com o passar do tempo, as meninas cresceram e uma delas teria se apaixonado pelo marujo. O pai, enciumado, teria matado os dois e se matado em seguida.

Verdade ou não, a história da Ilha de Jorge Greco é apenas pano de fundo para uma das melhores áreas de mergulho da região. Uma ilhota que tem uma área 1 km², deserta, sem água potável e com vegetação baixa. Lá é O ambiente subaquático oceânico é rico em corais, peixes, tartarugas, polvos, lulas, camarões, siris, cavalo marinho e golfinhos.

A visita a Ilha de Jorge Grego pode ser feita a partir de Vila de Abraão. As embarcações tem que ter autorização da Capitania dos Portos. 

Angra tem alguns dos mergulhos mais tranquilos de todo o estado, sendo assim ótimo destinho para iniciantes, como excelentes mergulhos de nível avançado e até mesmo técnico. E alguns destes últimos se localizam na área de Jorge Grego. 

Em breve o Onda Azul estará indo em excursão para mergulhar na área e dentro da baía da Ilha Grande com tubarões Mangonas! Agende conosco e visite esse local sensacional em Angra dos Reis.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O Lázaro de Ilha Grande

O Lázaro de Ilha Grande

imagem-destacada-o-lazaro-de-ilha-grande

A Ilha Grande é um dos destinos com várias histórias desde que o Brasil foi colonizado pelos portugueses. Neste blog você vai conhecer alguma delas, começando pelo Lázaro localizado no arquipélago na Vila do Abraão. Construído por Dom Pedro II no século XIX, o hospital de quarentena foi concebido para receber imigrantes e viajantes que chegavam por aqui portando cólera, geralmente contraído em navios.

A história da construção do Lazareno começa com uma viagem do imperador até Angra dos Reis, no dia 5 de dezembro de 1863. Nesta viagem, ele passou pela enseada de Palmas e do Abrãao. O monarca acabou pernoitando na Fazenda do Holandês e, durante essa estadia, também fez uma doação para a construção da igreja de São Sebastião, localizada na praça central do vilarejo. Toda essa aventura foi registrada em textos e desenhos em um diário de viagem, guardado no Museu Imperial de Petrópolis.

A construção do Lázaro começa em 1884, impulsionando significativamente a ocupação da Vila de Abraão. Na mesma época, a Coroa também adquiriu a Fazenda do Holandês, uma propriedade que se estendia da praia Preta até a atual ponte de atracação do Abraão. Dois anos depois, o hospital de quarentena era inaugurado e obedecia o critério adotado pelos navios de passageiros com divisão de classes: pavilhões de 1ª, 2ª e 3ª classes. Haviam restaurantes, armazéns para cargas e bagagens, laboratório bacteriológico, enfermaria e farmácia, além de belos jardins. O Lazareto funcionou até 1913 tendo atendido 4.232 embarcações, das quais 3.367 foram desinfetadas. Historiadores acreditam que o encantamento de Dom Pedro II durante a passagem pela Ilha Grande influenciou na escolha do local.

O Lázaro funcionou até 1913, quando foi fechado por Oswaldo Cruz, uma vez que ficou comprovado que esse tipo de isolamento não era eficaz para conter doenças. Com a Revolução Constitucionalista em 1932, Getúlio Vargas reabre o local com a função de presídio, abrigando alguns presos políticos como o escritor e imortal Orígenes Lessa. Com a construção do presídio em Dois Rios, no outro lado de Ilha Grande, os apenados foram removidos para lá.

Em 1954, Carlos Lacerda, então governador do Rio de Janeiro, mandou demolir o Lázaro com tiros de canhão. Da infraestrutura sobre apenas a parte subterrânea, que pode ser visitada até hoje por quem deseja passear por Ilha Grande.

Agende seu mergulho em Ilha Grande com a Onda Azul e aproveite para conhecer o Lázaro da região.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email