Mergulhar é muito mais do que um curso ou um certificado

Mergulhar é muito mais do que um curso ou um certificado

imagem-destacada-mergulhar-e-muito-mais-do-que-um-curso-ou-um-certificado

Por Paulo Guilherme “Pinguim”

Para digamos assim “simplesmente” ir para baixo d’água e ver a vida marinha é muito simples e fácil! É o que chamamos popularmente de batismo, ou discovery dive em inglês. Comparativamente podemos falar que o batismo seria o equivalente a um vôo duplo de asa delta. E os protocolos são semelhantes! Uma pequena explicação teórica do que se pode e não se pode fazer, mostra dos procedimentos que o aluno terá que fazer e os que o instrutor irá fazer, uma rápida prática numa piscina ou local de águas calmas e rasas e o mergulho propriamente dito, sempre sob os cuidados e alcance do instrutor. Este é o batismo! Não envolve qualificação nem habilitação para o candidato, apenas a experiencia mesmo! O candidato não sai formado em nada uma vez finda a experiencia.

Já um curso de mergulho é muito mais!!! Enquanto o batismo pode durar até menos de uma hora no total, um curso de mergulho envolve diversas aulas em um prazo mínimo de 3 ou 4 dias.

O mais importante num curso e que o diferencia de um batismo ou experiencia de mergulho é o conhecimento, aprendizado e habilidades que serão desenvolvidas nas aulas teóricas, práticas de piscina e práticas no mar. Com certeza um curso de mergulho BOM, de alto nível e qualidade irá transformar o aluno, fará com que o mesmo se torne uma pessoa diferente, mais evoluída, capaz de lidar com situações antes não era capaz. Enfim, se submeter a um curso de mergulho de alto nível irá nos transformar de pessoas da terra em visitantes do mundo marinho. Irá nos abrir a grande porta da maior parte do nosso planeta, quando deixaremos de ser caminhantes em menos de um terço do nosso planeta terra para habitantes integrais do nosso planeta, tendo acesso e habilitação para entrarmos e nadar na maior parte da nossa Terra!

Mas como podemos encontrar um BOM curso de mergulho?! Eu mesmo quando ainda não mergulhador me perguntava muito sobre isso…. A algumas décadas atrás um bom curso era aquele ministrado por militares da marinha, onde ter capacidade de fazer flexões e barra com cilindros nas costas, e conseguir correr por mais de 5km com os pesos e cilindros nas costas era mais importante do que sentir-se confortável embaixo d’água….. Não um bom curso de mergulho Recreacional, ou seja, para desfrutarmos os prazeres de visitar o mundo submarino é muito mais do que isso!

Um bom curso de mergulho hoje em dia envolve material didático de alto nível, interessante e prazeroso para facilitar o aprendizado da teoria necessária. Uma apostila ou livro que tem que ser lido de cabo a rabo associado a sentar em cadeira universitária com outros alunos, recebendo nota baixa e a cada erro, com prova no final, cadeira virada para parede, sem poder falar ou levantar para ir ao banheiro…. Meus amigos, isto é aula do século passado!

Um bom curso de mergulho tem opções multimídia, com aulas que você pode adiantar em casa com auto estudo ou on line, revisão e debates para garantir que você entendeu os pontos importantes, e não apenas quantificar num número o que você reteve da teoria.

E a prática, não pode ser baseada em tentativa e erro sem fim, como cachorros que fica repetindo o mesmo exercício eternamente até acertar…. Se está com dificuldade em um, passa para outro, relaxa, consegue avançar, ganha confiança e então outro dia tentamos de novo aquele que você não estava conseguindo!

É importante ver o instrutor muito mais do que um vigia para ver se você não está pulando nenhuma fase ou colando na teoria, como um parceiro de atividade, um profissional formado e com treinamento tanto em teoria e técnicas de mergulho mas também em interação e novas técnicas de ensino e tecnologia de mergulho.

E o mais importante de tudo, é saber olhar para o profissional, muito mais do que para a empresa. Afinal acho que todos nós conseguimos lembrar de algum professor muito bom e amigo na nossa época de escola, aquele cara que era capaz de nos motivar e nos entender. E também lembrar na mesma escola de um outro professor chato e com aula insuportável…. Pois é, na mesma escola!

Então qual é o segredo?! Converse com seu talvez futuro instrutor! Pergunte a ele quantas aulas serão e como elas serão! Lembre-se que para você como consumidor, quantas mais aulas, mais chances de aprender e relaxar antes de ir para o mar você terá! Não se deixe iludir por “Comigo você vai aprender muito rápido, num final de semana eu já te levo para o mar e você ganha a carteirinha”…

Mágica não existe e mergulho não é um pendrive, que se conecta na sua cabeça e instala o “programa”… Aprender a mergulhar pode ser rápido e fácil para uns, mas não é um click ou num estalo. É preciso tempo para que os conhecimentos e procedimentos sejam devidamente fixados.

Como exemplo mais uma vez dou o meu exemplo! Comecei na sopa de letrinhas como mergulhador da CMAS (Confederação Mundial de Atividades Subaquáticas), depois para a CBPDS (Confederação Bras de Pesca e Desportos Subaquáticos), daí para a PDIC (Professional Divers Instructors Corporation) e mesmo tendo tido muitos convites para ir para a PADI (Professional Association of Diving Instructors) acabei não aceitando.

Levado a escolher por motivos técnicos, padrões de cursos mais elevados, apoio aos profissionais e engajamento incomparável na preservação ambiental marinha, optei e até hoje faço parte das certificadoras internacionais SDI (Scuba Dive Instructors) para mergulhos recreativos e da TDI (Technical Diving Instructors) para mergulho técnico. Mas mergulho técnico fica para outro texto!

E por fim então lhes aconselho e muito a entrarem em contato comigo, marcarmos para conversar, mostrar o material didático, sobre os cronogramas de cursos e as melhores formas de atendermos as suas necessidades e garantir uma excelente e prazerosa estreia e evolução neste mundo novo, maravilhoso e impressionante do mergulho!

Abraços e até a próxima!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Conheça uma pouco da ilha de Yap, na Micronésia

Conheça uma pouco da ilha de Yap, na Micronésia

imagem-destacada-conheca-uma-pouco-da-ilha-de-yap-na-micronesia

Yap é considerada uma dos melhores locais para a prática do mergulho no mundo. A ilha, localizada na Micronésia, perdida no meio do Pacífico, também está ameaçada pelo aquecimento global e a poluição dos oceanos. Ainda assim, continua atraindo mergulhadores em busca de águas claras, naufrágios e um encontro com tubarões e as gigantes raias manta.

Uma das atrações são os destroços da Segunda Guerra Mundial, quando o arquipélago serviu de base militar. O lugar era um caminho para que os americanos pudessem chegar a Filipinas e ao Japão. A posição privilegiada fez com que os ianques atacassem a ilha sistematicamente. Acredita-se que existam ainda mais de 120 corpos desaparecidos e pelo menos 30 aviões caíram em Yap. Esses destroços viraram atração para os visitantes que se hospedam por lá.

Outro patrimônio da ilha é a tradição secular de fabricar dinheiro de pedra, o Rai. Mas se engana se você pensa que pode colocá-lo no bolso, pois cada ‘moedinha’ tem 4 metros de diâmetro. Existem menores, de 3,5 centímetros, mas a grande atração são os grandes discos encontrados em várias partes da ilha, feitas em calcita. Os locais sabem de quem são cada uma das 6.800 peças que existem no arquipélago e o valor de cada é dado pela dificuldade para serem obtidas. Para você tenha uma ideia, as moedas podem mudar de dono, quando há um casamento, transferência de titularidade de terra ou compensação por algum prejuízo.

Voltando aos mergulhos, Yap é um local onde os visitantes podem encontrar uma grande variedade de animais marinhos de todos os tipos: desde raias mantas gigantes até barreiras de corais coloridas. Há lugares como Vertigo, onde você conseguirá nadar entre tubarões de recife. A visibilidade na arquipélago, em geral, 30 metros e também existe a possibilidade de mergulhos profundos. A melhor época para estar na ilha e ver as gigantes mantas é novembro, mas a riqueza deste local pode ser conhecida o ano inteiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Venha praticar mergulho com os profissionais da Onda Azul

Venha praticar mergulho com os profissionais da Onda Azul

imagem-destacada-venha-praticar-mergulho-com-os-profissionais-da-onda-azul

O próximo ano será incrível para quem quer aprender a mergulhar com os cursos da Onda Azul. São cinco destinos que escolhemos para que você tenha uma formação com segurança e ainda desfrute das belezas naturais dessas localidades. Todas as nossas iniciativas são feitas em parceria com a Agência de Turismo Oxigenação. Escolha um dos lugares abaixo para saber mais.

Yap - Micronésia

Yap é o estado mais ocidental da federação, localizada a meio caminho entre as ilhas de Guam e Palau. O arquipélago é um dos locais ameaçados pelo aquecimento global, com isso, as ilhas correm o risco de desaparecer se o nível dos oceanos continuar a subir. Assim como algumas culturas elegeram o ouro como material precioso, nesta ilha eles elegeram o calcário. Mais especificamente, o calcário em formato de grandes discos.

Abrolhos (Bahia)

Localizada a 75km da costa de Caravelas, na Bahia, e é formado por cinco ilhas e conhecido por ser o santuário das baleias Jubarte. É para lá que esses gigantes vão entre os meses de julho e novembro para acasalar e terem filhotes. Pode ser que, durante o mergulho, você aviste algum desses mamífero, além de dezenas de cardumes e tartarugas. Em Abrolhos existem entre 13 e 17 pontos para a prática do mergulho e que são autorizados pelo ICMBio.

Angra dos Reis (Rio de Janeiro)

A cidade está na Costa Verde Fluminense, a 185 km do Rio de Janeiro. É conhecida por ter uma baía com águas claras e calmas. Um dos seus maiores atrativos são as ilhas como Ilha Grande, Gipóia, Jorge Grego e Butinas. Há também alguns naufrágios que podem ser visitados, além de lajes e grutas. É considerado um dos melhores locais para a prática do mergulho.

Cabo Frio (Rio de Janeiro)

Na parte oposta do Estado do Rio de Janeiro, numa área conhecida como Região dos Lagos, Cabo Frio é uma cidade com águas cristalinas, grande diversidade de vida marinha e diversos pontos de mergulho, que pode ser praticado em diversos estilos. Os locais de mergulho são muito próximos, o que torna a aventura ainda mais interessante.

Búzios (Rio de Janeiro)

Junto com Cabo Frio e Arraial do Cabo estão entre os locais mais procurados para a prática do mergulho no estado do Rio de Janeiro. Conhecida pelo glamour e noite agitada, Armação de Búzios é um dos locais onde acontece um fenômeno conhecido como ressurgência (Cabo Frio também). Nele, as correntes marinhas com água gelada e repletas de nutrientes oriundas da Antártica atraem e mantêm uma população marinha interessada pelos alimentos presentes nessas correntes.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email